CONVERSA DE PILOTO


Elson Avallone,  60 anos, Piloto, Aeroclube de Bauru/SP:

“Iniciei minha atividade de voo em 1978 e meu primeiro voo aconteceu quando fui buscar meu irmão Eder Avallone no Aeroclube de Bauru, que já era piloto. Ele então me sugeriu fazer um voo PAX com o instrutor Celso Maddi. Fiquei maravilhado com a sensação! Depois fiz o curso, e voei vários modelos, inclusive o lendário Flamingo, além de poder conviver com o Hendrich  Kurt e Hans Widmer. Hans Widmer sempre foi muito amável e amigável comigo, ensinando-me não somente a prática do voo, mas ensinamentos de engenharia, que trago até hoje. Em 1986 fui para a Alemanha trabalhar na empresa Glaser-Dirks Flugzeugbau (DG), regressando em 1988. Por motivos alheios à minha vontade, precisei parar de voar em 1993. Retornei à atividade do voo à vela em 2018, quando fiz meu segundo "primeiro voo" com o instrutor Rodrigo Alves (Mineiro). Quando pousamos, chorei como criança. A gente sai do voo à vela, mas o voo à vela não sai da gente. Retornei ao voo por insistência de 2 mulheres: minha esposa Suréia e minha amiga Valéria Caselato, que me convidou para fazer parte da diretoria da FBVP, com muito orgulho. Deste vez, não saio mais do convívio dos amigos de longa data e de outros que fiz.”




Eduardo Costa Rodrigues, 27 anos, Piloto e Instrutor, Aeroclube de Tatuí/SP.

“Iniciei na aviação muito cedo, precisamente 3 ou 4 meses antes de nascer. Voo de planador desde os 12 anos, e aprendi a voar bem antes de dirigir. Agradeço muito ao meu pai que me proporcionou praticar esse esporte lindo. Sem ele, eu provavelmente estaria jogando bola ou algo assim kkk. Voei meu primeiro campeonato em Tatuí em 2019 e consegui uma vitória lutada. Recentemente me tornei instrutor no aeroclube e passei a aprender muito mais do que os alunos. Gosto de todos os tipos de voos. Participei de um campeonato de acrobacia de planador, que fiquei em último lugar e acho isso o maior motivador para buscar a melhoria do voo e quem sabe, um dia a vitória. Esse ano pretendo competir em LEM no Campeonato Brasileiro com o feroz PT-POD (fire bird). Será bem divertido e espero conseguir fazer um triângulo FAI de 500km. Tem poucas coisas que a gente sabe que está fazendo certo na vida e voar é uma que eu tenho certeza! Agradeço a oportunidade e bons voos para todos dessa comunidade. Climb no +5 e manche a frente. Um Abraço.“



Márcio José Martins, 39 anos, Piloto, Aeroclube de Bebedouro/SP.
“Sou apaixonado por aviação desde criança, sonha em voar e em Bebedouro realizei meu sonho de voar aos 33 anos com o meu primeiro voo de planador no ano 2012 através da FBVP e do Projeto Voo SP I, recebi a bolsa em maio de 2013. Curti muito o período de instruções, participei de campeonatos, resgate de planadores, voei e naveguei nestes campeonatos com os melhores pilotos. Tudo serviu como aprendizado. São muitas horas de voo as quais desfrutei cada minuto. Foi e é uma grande realização para mim. Agradeço aos vários instrutores que tive nessa fase, a FBVP, a todos os envolvidos e a minha família.”



Pedro Henrique Brandão Marques, 20 anos, Aluno, Aeroclube de Bauru/SP:

“Me chamo Pedro, moro na cidade de Bauru, interior de São Paulo. Minha primeira experiência no voo a vela foi em um voo panorâmico em um planador, modelo Puchacz, no ano passado. De lá para cá, o amor que eu tinha pela aviação, foi só crescendo cada dia mais. Então fiz meu exame médico em uma clínica credenciada e corri para o Aeroclube de Bauru para fazer a minha matrícula. Hoje sou aluno, tenho um instrutor maravilhoso o Rodrigo (Mineiro), em quem me espelho para continuar buscando esse sonho de menino. Um abraço a todos os praticantes e alunos do volovelismo! Firma que vai!!”


GUILHERME GIL BASICHETTI, 28 anos, Piloto e Instrutor, Aeroclube Albatroz, Osório/RS:
“Um dos maiores prazeres no voo a vela é o ganho de altura, tanto na térmica quanto na colina, um dos dias mais marcantes com planador foi o dia em que tive um ganho de 1000 mts e permaneci durante 5:08 h em voo, intercalando entre térmicas apertadas e que se dissipavam rapidamente e o voo de colina que me segurava a 700 mts AGL, foi muito prazeroso ver o quanto aquelas "coisas" podem voar, pena que não levava comigo o SPOT, seria um lindo C de prata. Esse voo foi feito no Aeroclube Albatroz em Osorio/ RS.”

DANILO BROCHI, 31 anos, Aeroclube de Rio Claro/SP:

"Após desistir de duas faculdades, decidi que queria ser piloto de avião,  mesmo sem nunca ter entrado em um avião. Comecei a pesquisar e um piloto me disse que seria interessante fazer um voo de experiência para saber se eu não teria medo de altura. Assim o fiz. Foi ótimo! Corri atrás de um curso teórico de piloto privado de avião e na sequência decidi que queria fazer uma Faculdade de Aviação Civil, onde eu conheci professores que serviram na AFA e me apresentaram o planador. Passei a pesquisar mais e mais e me encantei com o esporte. Procurei a escola que ministrava aulas de planadores mais próxima e dei início ao meu curso no Aeroclube Politécnico de Planadores-APP. Pude fazer parte da equipe de um competidor, Júlio Cesar Alves Magalhães, em um campeonato, e percebi que estava no caminho certo no voo a vela. Hoje sou Piloto de Planador com orgulho e satisfação!"


Se você quiser participar e compartilhar sua paixão, preencha o formulário, escreva sobre uma experiência marcante que você teve voando de planador (no máximo 15 linhas) e anexe uma ou duas fotos suas em um planador.

Formulário:   https://docs.google.com/…/1FAIpQLSe_TPN_m0kfTaKlt…/viewform…

© 2020 FBVP - Federação Brasileira de Voo em Planadores. Todos os direitos reservados.